terça-feira, 19 de abril de 2016

BRASIL - Sobre as pedaladas fiscais, Dilma disse que...

...Os créditos suplementares não significam criação de despesa. "Dos R$ 95 bilhões em recursos analisados, maior parte é transferência, só R$ 2,5 bilhões não são", justificou. Ainda segundo ela, é errada a informação de que os bancos públicos foram utilizados com irresponsabilidade fiscal e avaliou que as instituições financeiras prestaram serviços ao governo federal na área de transferência de renda. "Concordamos com TCU (Tribunal de Contas da União) em diminuir o tempo em que o passivo ou ativo em bancos fica a descoberto". "TCU decidiu reduzir prazo para repasses a bancos em outubro e dezembro de 2015."

Dilma fala sobre as pedaladas fiscais
A presidente explicou ainda que havia de fato dinheiro não repassado a bancos, nos casos da diferença dos juros subsidiados em programas como o Plano Safra, o Minha Casa, Minha Vida e o Programa de Sustentação do Investimento (PSI). 

"Pela boa prática da segurança jurídica, pagamos o passivo de R$ 58 bilhões no final do ano passado. São questões contábeis fiscais que não dizem respeito ao mau uso do dinheiro público. Só a forma de gestão financeira do governo federal."



"Não tenho nenhum processo por corrupção e qualquer irregularidade com dolo ou má-fé. Sou vítima de um processo de meias verdades. O impeachment é previsto na Constituição, mas é necessário haver crime de responsabilidade", disse a presidente, repetindo que o processo é golpe por não haver o base legal para isso.

Nenhum comentário: