terça-feira, 19 de abril de 2016

BRASIL - Dilma, volta a criticar o impeachment


A presidente Dilma, em entrevista a jornalistas estrangeiros, voltou a criticar o processo de impeachment contra ela, que, após aprovação na Câmara, tramita agora no Senado. "Estou sendo vítima de um processo baseado em uma flagrante injustiça e fraude jurídica e política e, ao mesmo tempo, de um golpe. O Brasil tem um veio golpista adormecido", afirmou.

Dilma disse ter certeza de que não houve um único presidente depois da redemocratização do Brasil que não enfrentou processo de impeachment no Congresso e lembrou que ela não pode ser julgada pela crise econômica do País. "Me culpam como se eu fosse responsável pelo fim do superciclo da commodities, como se no resto do mundo essas dificuldade não fossem em escala maior", disse. "Se argumentação de crise econômica fosse argumento para tirar presidente, não teria um presidente em país desenvolvido", emendou.

Dilma voltou ainda a falar que não é culpada pela crise do País, já que não poderia prever eventos econômicos que impactaram desde 2014. "Exigem de mim que previsse quedas do petróleo, do minério de ferro e que deveria saber se o Brasil sofreria maior seca em 2014", afirmou. "Isso ninguém previu". A presidente criticou parlamentares que falaram, no dia da votação na Câmara, que o País cortou 10 milhões de empregos. "O argumento é uma lástima", afirmou, destacando que o corte é de 2,6 milhões de postos.
Em pronunciamento, Dilma volta a atacar o impeachment

Nenhum comentário: