destaque

destaque

sábado, 28 de janeiro de 2017

ESTADO - Contêineres vão abrigar detentos até desativação total de Alcaçuz, em Natal

A Penitenciária estadual de Alcaçuz, localizada em Nísia Floresta, deve ser desativada até o final de 2017, afirmou o governador Robinson Farias na última quarta-feira (25). Na ocasião, ele disse que seriam tomadas medidas mínimas necessárias para manter o presídio até a transferência definitiva dos presos. Nesta sexta-feira (27), o Gorverno do Rio Grande do Norte confirmou uma dessas medidas ao assinar um termo para o aluguel de 50 módulos habitáveis que serão adaptados para servirem de cela, até a destruição parcial da estrutura do presídio.
"A construção de Alcaçuz naquele local foi um grande equívoco naquele local, porque é uma área de geografia turística", afirmou Faria. Ainda segundo o governador, três presídios serão feitos de forma modular, para adiantar a entrega. A Cadeia Pública de Ceará-Mirim, na região metropolitana de Natal, é a única que já está em construção, terá três pavilhões e capacidade para 603 detentos.

Os contêineres alugados terá capacidade para 20 presos cada um, totalizando 1.000 vagas. Segundo levantamento feito na terça-feira (24), após intervenção da Força-Tarefa, existem 1228 detentos na penitenciária. A Secretaria de Justiça e Cidadania do Rio Grande do Norte (Sejuc) divulgou na quarta-feira (25) que pelo menos 56 presos fugiram, quatro deles já foram recapturados, e 26 morreram.
Contrução de muro provisório
Alguns contêineres já foram instalados no presídio com o objetivo de separar o dominío das facções rivais -  PCC e Sindicado do RN. Esse muro, posteriormente, será substituído por um de concreto. Toda a ação custará R$ 794 mil ao estado.

G1

Nenhum comentário: