quarta-feira, 2 de novembro de 2016

ALTO DO RODRIGUES - Hoje completa 30 dias da vitória inédita de Abelardo Rodrigues


A exatos 30 dias, a cidade comemorava a vitória de reeleição do prefeito Abelardo Rodrigues (DEM) sobre a candidata Jaqueline Medeiros (PSD). O sexto mandato foi resultado do grande trabalho da boa articulação e serviços prestados de Abelardo Rodrigues, da vice Emília, com o apoio dos vereadores da coligação Alto do Rodrigues Seguindo em Frente, dos colaboradores, correligionários e amigos dos que desejam a continuidade do desenvolvimento no município.

Em 45 dias, a oposição perseguiu, intimidou e inventou todo tipo de discórdia na intenção de vencer a eleição. Começou então, aquela velha conversa, de que o prefeito Abelardo Rodrigues estaria na lista do Ficha Suja e, portanto, não seria candidato, mas tudo deu certo para o povo e para o "papai". Abelardo foi candidato, registrou candidatura que foi deferida pela Justiça Eleitoral e venceu com uma maioria de 701 votos.

Pessoa ligada ao casal Eider e Jaqueline, nos confidenciou (e pediu segredo) que nos últimos dias, de posse de uma pesquisa que dava uma vitória à Abelardo a estratégia era tentar diminuir "a surra" de votos. "Eider pediu para o governador enviar, trocar o comando dos policiais civis e colocá-los à disposição da gente para perseguir o povo de Abelardo", disse a pessoa.

Nos últimos comícios de Abelardo Rodrigues, policiais faziam blitz na rota dos comícios de Abelardo Rodrigues e isso foi se intensificando e crescendo, tanto na cidade como nos distritos. Nos dois últimos comícios, da cidade e do distrito, algumas pessoas até ficaram com medo da tentativa de intimidar o povo, mas cada atitude dessa fortalecia o grupo e mais adesões aconteciam para Abelardo e Emília.

Nas últimas 72 horas que antecediam o dia "D", a galera dos Filhinhos do Papai foram perseguidos por policiais. A juventude do 25 viu algumas vezes o carro dos policiais civis entrando e saindo da mansão de Eider e Jaqueline, deixando claro o intuito de perseguir e intimidar.

As perseguições continuaram no sábado. À noite, policiais civis tentaram cerco contra o vereador Pedro Eugênio, tudo em vão, nada encontraram que pudesse incriminar Pedro Eugênio. O pai (de Pedro Eugênio) Graciliano Sena estava junto do filho e deu uma lição de moral nos policiais que estavam à serviço da oposição que até hoje eles (os policiais) estão procurando um buraco para se esconder.

No domingo à tarde, a denúncia de compra de voto mulher do vereador Magnus Medeiros movimentou a cidade nas proximidades do colégio Walfredo Gurgel e a polícia foi chamada, miliares do exército cercaram o veículo (uno vermelho) com as provas que foi lavrado na delegacia da polícia civil e encaminhado para a justiça sentenciar. Ah, na tentativa de fugir, a esposa do vereador ainda atropelou uma senhora.

Efeito bumerangue
Tudo que os adversários montaram de estratégias contra Abelardo, Emília e os vereadores deu errado: 

- Na tentativa de prejudicar a gestão de Abelardo, Eider e Jaqueline, pediram ao governador Robinson Faria para tirar dois serviços da Central do Cidadão, mas sofreu efeito contrário;

- Colocaram policiais (civis e miliares) para intimidar (blitz) com motociclistas e motoristas. As apreensões foram só com pessoas que votavam no 55, depois de ter o bem apreendido pela polícia, decidiram votar em Abelardo;

- Falaram que Abelardo estaria comprando votos e quem foi pego em atitude suspeita foi o grupo da oposição.

Nenhum comentário: